A fitoterapia é a ciência que estuda a utilização de produtos de origem vegetal com finalidades terapêuticas, sendo para prevenir, atenuar ou curar um estado patológico.

A palavra fitoterapia é formada por dois radicais gregos: fito vem phyton, que significa planta, e terapia vem de therapia, que significa tratamento, ou seja, tratamento em que se utilizam plantas medicinais.

A origem é impossível de ser determinada. O uso terapêutico de plantas medicinais é um dos traços mais característicos da espécie humana. É tão antigo quanto o Homo sapiens, e encontrado em praticamente todas as civilizações ou grupos culturais conhecidos.

Nas Ilhas Oceânicas, por exemplo, há séculos a planta kava kava (Piper methysticum) é usada como calmante. Durante muito tempo, foi utilizada em cerimônias religiosas, para um tipo de "efeito místico". Depois, cientistas alemães comprovaram que seu extrato tem efeito no combate à ansiedade.

Embora muitas pessoas ignorem a importância das plantas medicinais, sabe-se que toda a farmacologia tem como base exatamente os princípios ativos das plantas. Na verdade, a farmacologia moderna não existiria sem a botânica, a toxicologia e a herança de conhecimentos adquiridos através de séculos de prática médica ligada ao emprego dos vegetais. Apesar do avanço da tecnologia, que diariamente cria novos compostos e substâncias sintéticas com poderes medicinais, mais de 40% de toda a matéria-prima dos remédios encontrados hoje nas farmácias continua sendo de origem vegetal.

Todo medicamento, inclusive os fitoterápicos, deve ser usado segundo orientação médica. É claro que dificilmente chega-se a uma overdose de chá de camomila mas há ainda muitas plantas cujos efeitos não são bem conhecidos e seu uso indiscriminado pode prejudicar a saúde. Por outro lado, vários estudos científicos comprovam que a fitoterapia pode oferecer soluções eficazes e mais baratas para diversas doenças.
Algumas ervas importantes:

Açafrão

Tanto o óleo (empregado em massagens) como a tintura são úteis para combater anemia, a fraqueza e a melancolia.

Alecrim

O óleo das flores, em massagens leves, alivia as dores reumáticas. O chá das folhas é útil contra a epilepsia, a lepra, a sífilis e as feridas em geral.

Amendoeira

Seus frutos, tônicos e fortificantes, melhoram as inflamações e são indicados para os casos de bronquite.

Angélica

O chá das folhas tonifica o estomago. O chá da raiz, aplicado externamente, ajuda nos casos de gangrena e nas mordeduras venosas. O chá da planta inteira, tomado diariamente em jejum, é muito eficaz nas toses crônicas.

Arnica

O sumo vegetal é muito bom para curar feridas, nas contusões e fraturas.

Arruda-silvestre

Tem um efeito abortivo perigoso. Provoca a menstruação e combate a anemia das adolescentes.

Artemísia

O chá é indicado contra a epilepsia e a coréia (distúrbio encefálico caracterizado por movimentos musculares anormais e espontâneos, que sugerem uma dança). Cozida em vinhos e ingerida em pequenas doses freqüentes é um excelente antiabortivo.

Camomila

Quando colhida na conjunção de Marte com a Lua e o Sol, tem o poder de curar nódulos linfáticos das doenças tumorais do tórax. Úteis em crises de histeria e nas febres intermitentes.

Canela

Pela destilação prolongada de suas folhas obtém-se um óleo avermelhado que funciona como um tônico excelente, quando aplicado com massagens suaves.

Celidônia

É importante escolher aquelas que nascem em ruínas ou locais abandonados. A raiz macerada é um bom remédio para a garganta e para as inflamações graves.

Cevada

O chá das sementes ou as próprias sementes cozidas constituem um bom diurético e refrescante do sangue.

Erva-cidreira

Paracelso ensinava que o chá desta planta alivia as dores do parto e auxilia a expulsão da criança e da placenta.

Erva-de-são-joão

Útil nas cólicas e nas diarréias dolorosas.

Laranjeira

A casca do fruto, em infusão, combate a hemorragia uterina. Como alimento, a fruta é benéfica para a garganta e os intestinos.

Loureiro

Suas vagens têm propriedades vermífugas. A ação de qualquer parte da planta é antimicrobiana. O suco das folhas, tomado na dose de 3 a 4 gotas diluídas em água, ajuda na menstruação, corrige os desarranjos do estômago, melhora a surdez, as dores de ouvido e as manchas do rosto. Ideal quando colhida sob a influência de Marte.

Nogueira

O chá das folhas, por decocção (2 xícaras grandes, duas vezes ao dia), é um bom tratamento para feridas, erupções cutâneas e tumores. Deve ser usado por tempo prolongado. Na Idade Média, o chá de nogueira era um famoso tratamento contra a sífilis. A casca da raiz é um forte antídoto para vários venenos e cura as inflamações da boca, além de ser vomitiva.

Oliveira

O óleo de oliva tem a propriedade de condensar energia vital e força energética quando ingerido ou utilizado em massagens vigorosas na pele.

Peônia

Com as sementes que surgem da primeira florada faz-se um colar para ser dependurado no pescoço de uma criança epiléptica; concomitantemente deve ser ministrado um chá da decocção de parte das sementes. O chá das folhas alivia as dores de cabeça e as dores do parto.

Sândalo-vermelho

A massagem com o óleo ou com o pó perfumado da casca é útil contra hemorragias.

Sene

O chá por decocção tem um forte efeito purgativo. Melhor quando colhido na Lua cheia.

Tanchagem

O chá da raiz é cicatrizante para úlceras internas e externas, bom nas enxaquecas e nos casos de fluxo menstrual muito abundante. Com as folhas prepara-se um cataplasma, ótimo tratamento para a febre amarela, disenteria e doenças inflamatórias dos olhos.

Videira

O cataplasma feito com uvas assadas e transformadas em pó é muito bom para as dores severas do abdome. O suco das folhas tem excelente aplicação nos casos de disenterias fortes.


Jacqueline Abecassis

 
Compre também pelo nosso tele-vendas: (11) 2567-2824
Desenvolvimento: LETTI